Buscar

Esclarecendo dúvidas...

AS LEIS HERMÉTICAS NO DIA A DIA


A Lei do Karma não é um sistema de punição. O conceito de "castigo" com que fomos educados ainda leva muitos a pensar dessa forma. O que a lei do karma faz é apenas devolver feedback à pessoa - referente à sua própria escolha. Como uma câmara de eco inteligente onde todas as leis se manifestam para gerir a realidade pessoal e coletiva, a lei do karma usa convenientemente o tempo, o espaço, as circunstâncias e as pessoas, de forma a que cada um receba apenas aquilo que lhe diz respeito.


Por exemplo, alguém observa que a maioria das pessoas à sua volta são pessoas autoritárias e agressivas. A tendência natural da maioria ainda é julgar e condenar essas atitudes "negativas" nos outros, como se fosse imune a essas experiências ou simplesmente vitimizando-se por tê-las na sua vida. Mas se usarmos as Leis Herméticas e o princípio da evolução espiritual podemos encontrar uma maneira saudável e espiritualmente correta de ver a mesma realidade.


1. Princípio da Mentalidade – Percepção é projeção. O que eu vejo no outro não define o outro, apenas assinala que o que eu vejo no outro me devolve algo de mim mesma que provavelmente vive no meu inconsciente, neste caso autoritarismo e agressividade.


2. Princípio da Correspondência – Se está fora, está dentro e se está dentro, está fora. Se a frequência do autoritarismo não estivesse dentro, ela não apareceria fora.


3. Princípio da Vibração – Semelhante atrai semelhante. Se pessoas autoritárias e agressivas estão na nossa realidade foram atraídas por uma vibração semelhante existente algures dentro de nós, não raras vezes de vidas passadas.


4. Princípio da Polaridade – Quando nos vemos muito diferentes, melhores ou piores do que os outros, é uma ilusão. Este princípio e as leis acima mostram que somos iguais, apenas em polaridades opostas. Polaridades que irão alternar entre Yin/Yang, neste caso, submisso e autoritário até que haja equilíbrio.


5. Princípio do Gênero – Nuns momentos seremos mais Yang, mais assertivos, "autoritários" (masculino), noutros seremos mais Yin, mais passivos, mais "tolerantes" (feminino) até que a integração e fluidez dos dois planos se manifeste.


6. Princípio do Ritmo – Todas as forças irão oscilar, garantindo que não nos prenderemos numa só polaridade e que possamos sempre ter a experiência dos dois lados, neste caso do autoritarismo e seu polo oposto. Se estamos num seremos puxados para o outro e vice-versa.


7. Lei da Causa e Efeito – Também conhecida por Lei do Karma ou justiça divina, garante que jamais chegará a nós o que não nos pertence e que o que nos chega traz feedback de velhas ações/criações. Se te chegou autoritarismo e agressividade, foi isso que você criou.


É importante frisar que qualquer uma destas Leis existe para além do que conhecemos por Espaço e Tempo. Elas trabalham com a energia nas suas várias frequências e vibrações e funcionam para além da visão separatista do nosso ego; do bom e do mau, da boa vontade, boa intenção, sacrifício, merecimento, culpa ou justiça social. Tal como a lei da gravidade as leis herméticas não são boas nem más, elas apenas fazem o que lhes competem.


Como pequenas células atômicas que somos, qualquer uma destas leis gere tanto o nosso pequeno microcosmos como o macro, garantindo que ambas as expressões manifestem a sua luz, restaurando o seu equilíbrio. É a partir do conhecimento delas que podemos então afirmar com mais convicção que realmente tudo acontece por uma razão e esconde em si valiosas aprendizagens que enquanto não forem feitas pela própria pessoa tenderão a repetir-se eternamente.


Se ainda não consegue entender os eventos da sua vida, se ainda se pega julgando o que e quem te rodeia, perdendo assim mensagens valiosíssimas à sua evolução, marca já a sua sessão e vem descobrir os segredos da sua história karmica!


Texto por Vera Luz

http://veraluz.pt/as-leis-hermeticas-no-dia-a-dia/


🧬


DIFERENÇA ENTRE DHARMA E KARMA


O Dharma são os ensinamentos do Buda ou estudo dos sutras, dos textos budistas. Estar vivenciando o seu Dharma é estar alinhado aos propósitos maiores da sua alma. Quem ensina as verdades espirituais está vivenciando parte do seu Dharma.


Para o budismo, a palavra em sânscrito "Karma" significa "ação". Significa também "trabalho".


Todas as ações que realizamos com o corpo, fala e mente são expressões do carma. É a ação que conta e não o resultado (as sementes que plantamos não são influenciadas pela real ação manifesta e sim pela motivação que há por trás dessa ação). O que vale é a intenção. Segundo o Buda, todos somos herdeiros do nosso próprio carma.


O Buda disse que com "carma" ele se referia a "intenção". "Chetana". Carma é intenção. Cada ação intencional de corpo, mente e fala planta sementes em nosso fluxo mental. Mais cedo ou mais tarde, nesta vida ou na próxima, essas sementes brotarão e amadurecerão. Esse amadurecimento é chamado "vipaka" que significa o resultado do carma. E isso é o que experienciamos. Somos herdeiros de nossas próprias ações (boas ou ruins, o bom ou mau carma).


Longe de ser fatalista, o carma se bem compreendido expressa a nossa total responsabilidade. Sempre temos espaço para fazer uma escolha e ter uma resposta hábil ou inábil. Não é uma situação estática, o carma está sempre fluindo e mudando. A possibilidade de escolha é nossa, e isso é o carma. O carma não é o destino, são todas as sementes que plantamos e que vão germinar em algum momento. É um processo contínuo, a cada momento plantamos novas sementes. O exercício do Dharma gera bom karma.


Deixo como sugestão a leitura do livro da Jetsunma Tenzin Palmo, No Coração da Vida (Sabedoria e compaixão para o cotidiano).


🧬


Se os temas e questões acima ressoaram para você podemos trabalhar estas e outras questões junto à energia do Criador de Tudo o que É. Agende comigo uma sessão de ThetaHealing. Os atendimentos podem ser Online ou presenciais em Brasília. Para orçamentos é só entrar em contato: (61) 99629-2022.


Fique à vontade para compartilhar com as pessoas queridas ao seu coração.

📷 Canva